© 2016|2019 Desenvolvido pela Marcos Vaz Produções.

BIOGRAFIA

A história do cartunista Marcos Vaz está ligada, desde sua tenra idade, à arte das histórias em quadrinhos. Conheça agora esta jornada que profissionalmente, completou 30 anos em 2016. Apesar do Jubileu de Pérola, o artista garante que é uma jornada em construção, pois ainda tem muitos projetos a realizar.

Arte e Educação

A história do cartunista Marcos Vaz está ligada, desde sua tenra idade, à arte das histórias em quadrinhos. Conheça agora esta jornada que profissionalmente, completou 30 anos em 2016. Apesar do Jubileu de Pérola, o artista garante que é uma jornada em construção, pois ainda tem muitos projetos a realizar.

Marcos Vaz é professor, arte educador, profissional de marketing e empreendedor social, mas sua grande paixão mesmo são as histórias em quadrinhos educativas e institucionais, daí se caracterizar mesmo como cartunista. Natural de Umuarama, no Paraná, foi nesta cidade do interior que deu início, ainda na tenra infância, ao seu trabalho como artista das histórias em quadrinhos. Antes de aprender a escrever já enchia seus caderninhos de historinhas, mesmo sem o texto. Seu sonho: ser um grande cartunista. Sua inspiração: Mauricio de Sousa. E o que era uma brincadeira começou a se tornar um trabalho sério.

Arte e Educação

Turma do Brilhante

Marcos Vaz é professor, arte educador, profissional de marketing e empreendedor social, mas sua grande paixão mesmo são as histórias em quadrinhos educativas e institucionais, daí se caracterizar mesmo como cartunista. Natural de Umuarama, no Paraná, foi nesta cidade do interior que deu início, ainda na tenra infância, ao seu trabalho como artista das histórias em quadrinhos. Antes de aprender a escrever já enchia seus caderninhos de historinhas, mesmo sem o texto. Seu sonho: ser um grande cartunista. Sua inspiração: Mauricio de Sousa. E o que era uma brincadeira começou a se tornar um trabalho sério.

Em 1986 criou a Turma do Brilhante, que contava com um personagem bem diferente, o índio Umuaraminha, criado pelo cartunista como homenagem à sua cidade. Dois anos depois desenvolveu um projeto, com a ajuda de sua professora de português, Judith Barbisan, que tinha por objetivo fazer dele o mascote da cidade. Paralelamente Marcos já havia trabalhado em uma agência de publicidade da cidade, a Tok Final, e era assessor de imprensa do Sindicato dos Bancários, onde produziu diversas charges e cartuns.

Umuaraminha vira Lei

Em 1990 o Projeto Umuaraminha encontrou eco na sociedade umuaramense e por iniciativa dos vereadores, que escreviam a Lei Orgânica Municipal, o personagem foi incluído na carta magna como símbolo oficial da cidade, ao lado da bandeira, do brasão e do hino municipal. Umuarama foi a primeira cidade brasileira a transformar um personagem de histórias em quadrinhos em símbolo oficial, fato que foi destaque na revista VEJA. O Umuaraminha fez um grande sucesso,estrelando diversas revistas em quadrinhos, peça teatral, exposições, concursos de pintura, redação e frases e ganhou até homenagem de escola de samba.

Cartilha da Justiça em HQ: primeiro gibi nacional

Em 1992 graças ao sucesso deste projeto Marcos Vaz foi convidado para participar de uma seletiva promovida nacionalmente pela AMB (Associação dos Magistrados Brasileiros) para ilustrar a Cartilha da Justiça em quadrinhos, concorrendo com feras como Mauricio de Sousa e Ziraldo. A publicação visava democratizar o Poder Judiciário. A revista foi lançada em Brasília, no Ministério da Justiça, e teve uma tiragem inicial de 2 milhões de exemplares patrocinados pelo próprio Ministério, Fundação Banco do Brasil e impressão da Imprensa Oficial do Governo Federal.

Curitibinha homenageia

300 anos de Curitiba

Em 1993 Marcos Vaz mudou-se para Curitiba, onde criou o personagem Curitibinha em homenagem a Curitiba. A cidade vivia seus dias áureos, sendo reconhecida internacionalmente como modelo de desenvolvimento sustentável. 

Depois de muita negociação o personagem foi lançado pela Prefeitura de Curitiba através da Fundação Cultural, em evento realizado no Largo da Ordem no dia 29 de março de 1994. Neste mesmo ano diversos produtos ganham a imagem do Curitibinha e é lançado seu case de maior sucesso: o Jornal Curitibinha Escolar, que seria distribuído mensalmente e ininterruptamente até dezembro do ano 2.000. Com tiragem mensal de 110 mil exemplares, o jornal atingiu a marca de mais de 6 milhões de exemplares impressos e distribuídos!!!

Curitibinha e Celeste na Sapucaí, Rio de Janeiro

Em 1995 a Escola de Samba Unidos da Ponte, do grupo principal do carnaval do Rio de Janeiro presta homenagem ao estado do Paraná e os personagens Curitibinha e Celeste, ao lado do criador, são convidados para participar do desfile, na noite de 26 de fevereiro, na Sapucaí. Para o artista, foi um momento marcante, memorável. 

Paranazinho e Brasilzinho

O sucesso do Curitibinha Escolar fez com que diversos outros projetos com o personagem ganhassem vida. Muitas revistas em quadrinhos com temas de utilidade pública chegaram às escolas públicas e particulares. Depois de homenagear sua cidade natal e a capital do seu estado, chegou a hora do artista prestar homenagem ao Paraná e ao Brasil. Assim, em 1997, surgem Paranazinho e Brasilzinho. A primeira aparição do Brasilznho foi através dos gibis Juizados Especiais e Cidadania, lançadas pela AMAPAR – Associação dos Magistrados do Paraná. Neste mesmo ano Marcos Vaz funda a MARV PRODUÇÕES LTDA, empresa do artista que passa a agenciar o seu trabalho.

Prêmio Árvore do Sucesso

Paranazinho, apesar de ser criado em 1997, só deu o ar da graça um ano depois, através da publicação do gibi Seus Direitos na Medida Certa, publicada pelo Governo do Paraná através do IPEM – Instituto de Pesos e Medidas. Depois estreou dezenas de publicações, com destaque para as revistas voltadas à educação para o trânsito, publicadas pelo DETRAN-PR e pela PM-PR. Em 1998 Marcos Vaz foi agraciado com o Prêmio Árvore do Sucesso, através de pesquisa realizada pela revista Success em Curitiba-PR.

Prêmio Personalidade Empreendedora do Paraná

Em 1999 a produção artística é intensa e o cartunista Marcos Vaz é agraciado com o Prêmio Personalidades Empreendedoras do Paraná através da UNAECIC. A premiação ocorreu na Câmara Municipal de Curitiba, no dia 27 de março, e Marcos Vaz recebeu seu prêmio das mãos do senador Álvaro Dias, ex-governador do Paraná.

Prêmio Medalla a La Integración Símon Bolívar

No ano 2000 a AMB lança uma nova versão da Cartilha da Justiça, desta vez protagonizada pelo Brasilzinho, com tiragem de 2 milhões de exemplares. No mesmo evento de lançamento, realizado na Escola Estadual Infante Dom Henrique, em Copacabana, Rio de Janeiro, é realizado o lançamento oficial do personagem Brasilzinho. Mais uma vez um grande sucesso e o Brasilzinho começa a se tornar conhecido no meio escolar nacionalmente, especialmente entre os alunos do ensino fundamental. 

Marcos Vaz novamente é agraciado com o Prêmio Personalidades Empreendedoras do Paraná, oferecido pela UNAECIC. Ele não pôde participar do evento pois no mesmo dia receberia as láureas da Medalla a La Integración Simon Bolivar, prêmio oferecido pela CIPIS e pela Câmara Internacional de Pesquisas e Integração Social da América Latina, em evento realizado no dia 1º de dezembro em Foz do Iguaçu-PR.

Brasilzinho Estatuto da Criança e do Adolescentes

Em 2001 o Juizado da Infância e da Juventude do Tribunal de Justiça do Paraná lança a revista Brasilzinho Estatuto da Criança e do Adolescente, visando desmitificar a legislação sobre a infância e a juventude, proporcionando à população e aos educadores uma maneira pedagógica de divulgar o ECA.